POIS TEU E O REINO, O PODER E A GLÓRIA…

Pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!

“Ora, Cristo é a expressão visível do Deus invisível. Ele existiu antes que a criação começasse, porque foi por meio dele que tudo foi feito, tanto o espiritual como o material, visível ou invisível. Por meio dele, e para ele, também, foram criados poder e domínio, propriedade e autoridade. De fato, cada coisa foi criada por meio dele e para ele. Ele é o primeiro princípio assim como o mantenedor do esquema total da criação. E agora ele é a cabeça do corpo que é a igreja. A vida que surgiu do nada começou por meio dele, e a vida surgida dentre os mortos começou por meio dele, e ele é, portanto, justamente chamado o Senhor de tudo.”  Cl 1.15-18, tradução livre de Phillips.

Esta exaltação, que trata do reino e da glória, aparece em metade das traduções do Novo Testamento. É, por isso, repetida na Oração do Pai Nosso por milhares de  pessoas, sendo uma expressão vigorosa de louvor ao Pai Celestial. Assim, como a oração é iniciada com uma expressão de reverência e honra, com a declaração “Santificado seja o teu nome”, agora ela termina com a reafirmação da grandeza de Deus: “Teu é o reino, o poder e a glória!”.

Realmente acreditamos nisso? Estamos certos de que a realeza, tanto nos céus como na terra está nas mãos de nosso Pai? Estamos confiantes que Ele controla todos os fatos da história? Nenhum aspecto de nosso Pai Celestial é visto de maneira desfigurada; nossa alma necessita exaltar o Nome que está acima de tudo: Ele é nosso Pai bondoso, Aquele que nos ama e nos conduz a Si mesmo pelo seu Espírito amoroso. Mas Ele é também o Governador dos céus e da terra, da grandiosidade do universo infinito, diante do qual o homem parece ser nada, tendo sido criado porém, pouco menor que os anjos (Ler Sl 8.3-9). Diante dele devemos todos os dias nos apresentar para darmos conta de nossos atos, e buscarmos seu amor. Assim, Ele merece todo o nosso respeito, louvor e honra. E outra vez a pergunta: cremos mesmo nisso? Meu Pai é Senhor absoluto do universo? Reconheço-o como o poder supremos que dita toda a história? Compreendo que tudo que existe, assim é, por sua vontade determinada?

Se eu creio, então só pode existir em meu espírito um grandioso respeito por Ele, e uma reverência de proporções profundas se infiltrará no íntimo do meu ser! E este respeito por meu Deus trará um brilho e condicionará todos os meus pensamentos, ações, atitudes e motivos. Não é conveniente e muito próprio, portanto, que esta oração devesse terminar com um tema de exaltação e louvor? Quem mais merece tão verdadeiramente nosso elogio? Quem mais é merecedor de nossa mais exaltada e devota adoração?

Para muitos, Deus está muito longe e muito indistinto. O quadro mental e espiritual que temos de nosso Pai, projetado diante de nós pelos nossos próprios conceitos, fracos, limitados e inadequados do Seu caráter, não é mais do que uma caricatura da Sua verdadeira Pessoa. Alguns poucos seres humanos selecionados, que parecem grandemente separados, receberam a honra enorme de ter uma visão íntima de Deus. Ficaram totalmente deslumbrados pela absoluta majestade, de magnitude indescritível, da glória da sua presença. O impulso imediato que sentiram foi inclinarem-se em humilde reverência, para cultuar e irromper em adoração e louvor expontâneo.

Deus é o criador de todas as coisas (Os astrônomos calculam que a Via-Láctea, a galáxia a que a nossa Terra e o nosso sistema solar pertencem, contém mais de 30.000.000.000 de “sóis”, muitos deles imensamente maiores que o nosso sol, que é um milhão de vezes maior do que o nosso planeta. A Via-Láctea tem a forma de um delgado relógio, medindo seu diâmetro 200.000 anos-luz. Ano-luz é a distância que a luz percorre em um ano, à razão de 300.000 quilômetros por segundo. E há pelo menos 100.000 galáxias como a nossa, algumas das quais distam milhões de anos-luz uma das outras. Tudo isto pode ser apenas um pouco no além do compreensível, na extensão infinita do espaço. Manual Bíblico de H. H. Halley, pg. 59).

E o homem quem é? Vivemos na Terra, um planeta aproximadamente esférico de metal líquido, com cerca de 6.000 quilômetros de raio, cuja superfície é uma fina casca solidificada de 6 quilômetros de espessura, o que corresponde a um milésimo de seu raio (a proporção é a de um ovo e sua casca). Giramos a uma velocidade supersônica tal qual um pião e também em torno do sol. Todo este conjunto viaja a uma velocidade que não se imagina, para algum lugar desconhecido pelos cientistas.

Diante deste quadro qual poderia ser o objetivo do ser humano na Terra? “O FIM SUPREMO E PRINCIPAL DO HOMEM É GLORIFICAR A DEUS E GOZÁ-LO PARA SEMPRE”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ 48 = 55